transtorno inconsútil (qual o sabor do teu silêncio?) (PT)  |  Seamless Disorder (what does your silence taste like?) (EN)
Instalação Multimédia / Mixed Media Installation (2m x 2m) - Ludmila Queirós
Sinopse
PT | 
 Transtorno [acto ou efeito de transformar, alterar a ordem, turvar, etc.] 
Inconsútil[feito sem costura, de uma só peça, etc.]
Paradigma do espelho sinestésico[No jogo silencioso (qual o sabor desse silêncio?) da possibilidade de
um olhar infinito para dentro, numa pele metafórica, que, não tendo
costuras.
EN | 
Disorder [act or effect of transforming, altering the order, muddying, etc.] 
Seamless[made seamless, in one piece, etc.] 
Paradigm of the synesthetic mirror[In the silent game (what is the taste of this silence?) of the possibility ofan infinite look inside, in a metaphorical skin, which, not havingseams.
12.11.2021 a 14.01.2022 | Exposição coletiva "Motel Coimbra #5" | Galeria do Colégio das Artes, Universidade de Coimbra , Coimbra.
AUTORES - ADELAIDE GINGA, ALEX LIMA, ANA DAVID MENDES, ANDREAS STÖCKLEIN, BRUNO BORGES, CATARINA PARENTE, CRISTIANA NOGUEIRA, DANIEL BARRETTO, EDICLEISON FREITAS, FELIPE BARBOSA, FELIPE DUARTE, HERMANO NORONHA, HUGO LEITE, HUGO SANTOS SILVA, IVANA SEHIC COM O ATELIÊ CALDEIRAS, JOANA PASSI, JOCLÉCIO AZEVEDO, LEONARDO VENTAPANE, LUÍS LOMENHA, LUDMILA QUEIRÓS, MARCELO KRONEMBERGER, MARIA RITA NOGUEIRA, MARIANA GOMES, NUNO M CARDOSO, PEDRO ROSA, ROSA COUTINHO CABRAL, SIMONE VON RANDOW, THALES LUZ
CURADORES - ANTÓNIO OLAIO E PEDRO POUSADA
COORDENAÇÃO - ANTÓNIO OLAIO E PEDRO POUSADA
PRODUÇÃO - COLÉGIO DAS ARTES
MONTAGEM - VANDA MADUREIRA, JORGE DAS NEVES, ANTÓNIO OLAIO E XS DOUTORANDOS DO COLÉGIO DAS ARTES
Link para mais fotografias e informação_ aqui
SOBRE A EXPOSIÇÃO: ["LOTAÇÃO ESGOTADA
Este já é o 5º Motel Coimbra… O que leva a pensar que, de facto, não existe um Motel que aguarda ser ocupado, mas sim que, de dois em dois anos, surge um novo.
Não propriamente quartos que esperam ser ocupados. Antes pelo contrário, quartos que nascem, se configuram e reconfiguram quando há quem os ocupe.
Neste Motel, a lotação está sempre esgotada, porque é esta a sua natureza.
Porque aqui não falta ninguém, nem ninguém está a mais, um Motel que é de uma plasticidade que se molda não só às obras que o ocupam, mas sobretudo à dinâmica das relações que estas estabelecem.
Quando julgamos que tem uma forma, já tem outra. Um Motel, uma exposição, sempre em passagem de uma coisa para outra, que está sempre à frente da nossa percepção. Que nem para quando fechamos as luzes e as portas. Até porque é à noite que as coisas acontecem… reabrindo no outro dia como se nada se tivesse passado."
António Olaio, Coimbra, 25 de Dezembro, 2021

Comentários à Exposição:
"Inauguração da exposição dos Doutorandos do Colégio das Artes, Motel Coimbra ou o espaço expositivo como ensaio anarco-whitecube. O Mundo é múltiplo, interior, anterior, utópico, doloroso, errante, quebradiço, invisível; é uma carta manuscrita, uma imagem sem espelho, uma presença sem luz; é a cinética da intermitência, do não voltar a ser; é nuvem digital, caminhada no inútil, é a floresta a resistir, o algoritmo a querer ser arca de Noé. E é assim que o podemos encontrar nesta exposição coletiva." 
Pedro Pousada, 12 de Novembro de 2021