Sombra e Luz ⥁ Shadow and Light

Ludmila Queirós ✳

Sombra e Luz ⥁ Shadow and Light

Ludmila Queirós ✳

Instalação Audiovisual por Ludmila Queirós
Composição Sonora por Paulo Bastos


Sinopse
PT | “Guardar como...” pode ser um processo interior, de arquivo de memória. É este tipo de “arquivo” que é abordado nesta Instalação. Bachelard, em A Poética do Devaneio (1996, p.
114) aborda a necessidade de nos desembaraçarmos de uma memória histórica e lançar- mo-nos sobre uma memória inesperável, emaranhada onde o caos pode permitir uma intensificação da vivência.
Não importa o que aconteceu/acontece mas sim se ao ocorrer a partilha dessa memória (independemente dos meios de partilha) ela Transforma – [Transtorna] – Amplia – Liberta.]

EN | "Save as..." can be an internal process of memory archive. It is this type of "file" that is addressed in this Installation. Bachelard, in The Poetics of Reverie (1996, p. 114) addresses the need to get rid of the historical memory and throw ourselves into an unexpected entangled memory where chaos can allow intensification of the experience.
It does not matter what happened/happens but whether, when this memory is shared (regardless of the means of sharing) it Transforms - [Transturns] - Expands - Frees].
Composição Sonora por Paulo Bastos:
14.11.2020 a 31.01.2021 | Exposição coletiva "Save as..." | Casa Municipal da Cultura de Estarreja, Estarreja 
Curadoria: Mário Afonso
Organização: 
Município de Estarreja e Estação - Espaço de Intervenção Artística.

" “Guardar como...”, conjunto de duas palavras que se tornaram comuns no mundo ocidental devido à evolução
tecnológica. Dispositivos tecnológicos que nos permitem armazenar dados quase de forma infinita, deste
modo conseguimos expor, documentar e arquivar dados, quer de interesse pessoal, quer do interesse comum.
De forma a entender o arquivo dentro de um contexto em que vivemos, Paulo Bernardino Bastos (2006) defende
que com as novas tecnologias digitais, surgem cada vez mais projetos na Internet na procura de transformações
desses locais, ajustados à velocidade contemporânea, na corrida por imagens interpretadas pela sociedade atual.
Com o desenvolvimento tecnológico, o arquivo sofreu grandes alterações, isto porque provocou consideráveis
formas de produção e de acesso à informação.
Aplicações tecnológicas utilizados no nosso dia a dia em organizações, públicas e privadas, têm grande influência
na gestão documental nos arquivos.
As questões arquivistas estão relacionadas com a organização, conservação e acesso à informação e até à
forma de como o material é arquivado, sendo ou não sustentável, para ser consultado no futuro.
Na verdade, o arquivo tem vestígios do passado e isso confirma determinados acontecimentos históricos, mas
não existe nenhuma fórmula que defina como esses acontecimentos têm de ser recordados.
Uma admiração pelas práticas arquivísticas através da junção de todos os tipos de arquivos, sendo possível
debater vários temas desde a criação à destruição, da crítica à reflexão e das práticas artísticas, colocando
em causa
a relação de poder com movimentos não institucionalizados de manutenção de objetos, obras, imagens e
coleções.
Este tema procura estimular o debate sobre a forma de explorar e mapear as relações entre o arquivo e a produção
artística na arte contemporânea, porque tem capacidade de intervir na estética e na política, devido ao
seu forte repositório com o passado."